12 de janeiro de 2012

Apenas, e só, a vida.

Não entendo qual o propósito de certos e determinados acontecimentos na nossa vida; não consigo encaixar na minha compreensão, tantos e tantos momentos de dificuldade, tristeza e desistência.
Nossa.
Das pessoas.
Do Mundo.
Sinto-me cansada, e nem tão pouco sei, se quero continuar. A cinza que sobrou de mim, continua espalhada no chão da alma.
Nada é capaz de erguer aquilo que talvez já tenha sido.São lugares tão ausentes. E estou parada neste impasse.
Sinto-me só.
Estou exausta de tantas batalhas e tristezas. De tudo aquilo que só faz florescer sorrisos, porque me obrigo a ser mais forte {do que aquilo que sou capaz}.
Este peso, esmaga-me o coração. Fortalece a dor.
De quem sou? Como vou enfrentar o mundo? Como se procura aquilo que não sabemos se existe?
Não sabemos nada sobre nós. Apenas sabemos que algo muda, quando a tristeza se apodera dos poucos sonhos que nos acalmam a alma.

3 comentários:

João disse...

"Como se procura aquilo que não sabemos se existe?"

Com a fé... Em ti, no próximo, na vida, no futuro. No destino. Acreditar que vai ser melhor. Que merecemos isso e muito mais.
Que não há mal que sempre dure, nem bem que nunca acabe.
Porque a vida é assim mesmo.
E é o ser assim, que a torna linda, B*.

Beijinho

AquilesMarchel disse...

e depois vem a apatia né



sempre gosto de vir aqui ver seus sentimentos

S* disse...

Há alturas em que parece que temos de passar por cima de demasiadas pedras no caminho.